Como é a injeção para impotência sexual

Está atrás de informações sobre a injeção para impotência sexual? Quando deve ser usada, se dói ou tem contraindicação? Então, veio ao lugar certo. Veja isso tudo e muito mais aqui nesse artigo.

Muitos são os tabus em torno de uma das formas de tratar a impotência sexual, que é através de uma aplicação de uma injeção diretamente na base do pênis.

Então, na verdade, o intuito é aplicar Alprostadil, um medicamento para tratar a disfunção erétil.

Embora na fase inicial a aplicação deve ser feita por um médico ou enfermeiro, após um tempo, o próprio paciente já pode se auto aplicar em casa mesmo.

Caverjet ou Prostavasin são alguns nomes desse medicamento, geralmente, vendidos em forma de injeção, mas, felizmente para alguns homens com problemas com isso, hoje já podem ser encontrados em forma de pomada, que também deve ser aplicada diretamente no pênis.

Por ser um vasodilatador, Alprostadil ajuda a dilatar o pênis, aumentando e prolongando a ereção, consequentemente, ajudando a tratar a disfunção erétil.

Para quem é indicada a injeção para impotência sexual

Então, custando entre 50 a 70 reais, o Alprostadil é indicado para tratar a disfunção erétil de origem neurológica, vascular, psicogênica ou mista, sendo aplicado, geralmente, por meio de uma injeção localizada.

A injeção deve ser usada, no máximo, 3 vezes por semana, obedecendo um intervalo, mínimo, de 24 horas, e  a ereção deverá acontecer após 5 a 20 minutos da injeção.

Mas é bom deixar claro aqui para as pessoas que não querem usar essa injeção, que existem estilante naturais como o titan grow que funciona muito bem para melhorar a ereção e retardar a ejaculação.

Efeitos Colaterais e Contraindicações de Alprostadil

Quanto aos possíveis efeitos colaterais, a injeção pode provocar, após sua aplicação, uma leve dor no pênis, pequenos hematomas ou equimose, ereção prolongada, que pode até durar entre 4 a 6 horas, fibrose e rompimento dos vasos sanguíneos do pênis, podendo provocar sangramento e espasmos musculares.

A injeção não é indicada para pacientes com hipersensibilidade a alprostadil ou qualquer outro componente, pessoas com priapismo, pacientes com deformações no pênis, anemia falciforme, mieloma ou leucemia.

Enfim, esse recurso só deve ser utilizado com total supervisão de um profissional capacitado.

Como usar a injeção

Atenção, como dito acima, Alprostadil só deve ser usado sob indicação e supervisão médica, e a sua frequência deve ser definida pelo médico responsável, embora, geralmente, a dose utilizada seja de 1,25 e 2,50 mcg com dose média de 20 mcg e dose máxima de 60 mcg.

O medicamento é administrado através de uma injeção aplicada diretamente no pênis, nos corpos cavernosos, mas a injeção não deve ser dada próximo de veias, evitando o risco de sangramento.

Lembrando que as primeiras injeções devem, ser aplicadas por um médico ou enfermeiro, só depois de um certo tempo, definido pelo médico, o paciente poderá se autoaplicar em casa mesmo, sem qualquer dificuldade.

O medicamento, em pó, precisa ser preparado antes de ser aplicado, sendo fundamental voltar ao médico, a cada 3 meses, para um acompanhamento e uma avaliação da situação.

O preparo:

O preparo é simples, bastando seguir esses passos:

  • Aspirar com uma seringa o liquido da embalagem, que contém 1ml de água para injetáveis;
  • Misturar o liquido no frasco que contêm o pó;
  • Encher a seringa com o medicamento e aplicar diretamente no pênis com uma agulha 3/8 a meia polegada de calibre entre 27 e 30.

Atenção, na hora da aplicação, o paciente deve estar sentado, com as costas apoiadas, então deve aplicar a injeção no pênis, com cuidado, evitando locais machucados ou com hematomas.

Como armazenar Alprostadil

É fundamental que seja obedecida a forma correta de armazenamento, assim, é preciso deixar o medicamento conservado na geladeira, entre 2 e 8°C, dessa forma, protegido da luz. Mas cuidado, ele nunca deve ser congelado.

E atenção, após preparar a solução, a mesma pode ser armazenada, em temperatura ambiente, sempre inferior a 25°C, por no máximo 24 horas.

Principais remédios para impotência sexual masculina

Está querendo saber quais são os melhores remédios para tratar a impotência sexual? Então, esse artigo é para você! Confira quais os principais remédios no mercado atualmente!

Felizmente, podemos afirmar que só sofre com impotência sexual quem tem vergonha de procurar um médico especialista ou desconhece que hoje já existe remédios ou tratamentos capazes de tratar qualquer tipo de problema.

Por exemplo, em relação à disfunção erétil, já podemos contar com remédios como o Viagra, Cialis, Levitra, Carverject ou Prelox que podem devolver ao homem uma vida sexual satisfatória.

Mas, claro, cada caso é um caso é, muitas vezes, a impotência é só consequência de algum outro problema de saúde, por isso, é fundamental procurar um médico para descobrir as causas que estão na origem deste problema, de forma a fazer um tratamento específico e eficaz.

No mais, vale saber que, embora possa surgir em qualquer idade, geralmente, a impotência Sexual afeta homens entre os 50 e os 80 anos, e significa a incapacidade, ou dificuldade, em ter ou manter a ereção do pênis, permitindo uma relação satisfatória.

Leia também: Como aumentar o tamanho do pênis

Principais remédios para combater a Impotência Sexual

Como dito anteriormente, felizmente, já existem alguns remédios que o urologista pode prescrever para tratar a impotência sexual, são eles:

1. Sildenafila, tadalafila e vardenafila

Os remédios sildenafila, tadalafila e vardenafila, popularmente conhecidos pelos nomes comerciais Viagra, Cialis e Levitra, atuam estimulando o aumento do óxido nítrico na musculatura lisa dos corpos cavernosos do pênis, através da estimulação sexual, promovendo o seu relaxamento e facilitando o fluxo sanguíneo, e assim favorecendo a ereção do pênis.

Como efeitos colaterais possíveis, foram relatados dor de cabeça, tontura, ondas de calor, rubor facial, dor lombar e dor muscular, distúrbios visuais, congestão nasal, náuseas e má digestão.

2. Alprostadil injetável

Mais conhecido como Carverject, este medicamento é um injetável e também indicado para tratar a disfunção erétil, só que, nesse caso, quando ela tem origem relacionada aos nervos, vasos sanguíneos ou quando a origem é psicológica.

O alprostadil facilita o relaxamento da musculatura lisa dos corpos cavernosos e estimula a vasodilatação no pênis, promovendo a ereção, dentro de 5 a 20 minutos após a aplicação do injetável.

Como efeitos colaterais possíveis, foram relatados dores no pênis, ereção prolongada, hematoma no local da injeção, vermelhidão, fibrose peniana, angulação do pênis e nódulos fibróticos.

3. Alprostadil lápis intra-uretral

O Alprostadil lápis intra-uretral deve ser inserido na uretra para dilatar os vasos sanguíneos e ajudar o homem a manter uma ereção, ou pode ser usado apenas para o médico poder examinar e ter um diagnóstico da impotência.

Como efeitos colaterais possíveis, foram relatados dores na uretra e no pênis, dor nos testículos, dor de cabeça, tonturas, espasmos musculares, pressão arterial baixa, ligeiro sangramento uretral, sensação de ardor e comichão na vagina da parceira durante o contacto íntimo e curvatura e estreitamento anormal do pênis.

4. Testosterona

Se a impotência for causada pelos baixos níveis de testosterona, nesse caso, geralmente, é indicada a terapia de reposição com este hormônio como primeiro passo ou, se necessário, pode ainda ser combinada com outros remédios.

Como efeitos colaterais possíveis, foram relatados dores de cabeça, alterações da próstata, tonturas, aumento da pressão arterial, diarreia, perda de cabelo, tensão, dilatação e dor mamária, alterações de humor.

5. Remédios naturais

Hoje no mercado já é possível encontrar uma infinidade de opções naturais que também oferecem bons resultados, melhorando a circulação sanguínea e aumentando o desejo sexual e com a vantagem de não oferecerem efeitos colaterais como os remédios citados, por isso, a procura por esse tipo de medicamento vem crescendo a cada dia.

Existem métodos confiáveis ​​para aumentar o tamanho do pênis?

Tenho 31 anos e gostaria de aumentar meu pênis, porque na academia me sinto menos que os outros.

Muitas vezes vejo anúncios de exercícios ou ferramentas que prometem aumentar o pênis, gostaria de saber se eles funcionam e se são perigosos para a saúde. B.

Olá B,

obrigado pela sua pergunta. Enquanto isso, gostaria de esclarecer um conceito importante.

Quando você fala sobre comparação nos vestiários das academias, está se referindo ao tamanho do pênis em repouso .

As medidas entre membros em repouso e eretos são duas coisas muito diferentes, por várias razões.

De uma maneira muito geral, imagine que o pênis seja composto, entre outros componentes, de tecidos elásticos e músculos lisos , em proporções variadas; se uma pessoa tiver a maioria das fibras elásticas, o pênis em repouso será menor , mas crescerá consideravelmente na ereção; se, pelo contrário, houver uma prevalência de fibras musculares lisas, será maior em repouso, mas crescerá pouco ou nada com l ereção.

Uma dica interessante é fazer uso de algum produto natural para aumentar o pênis e melhorar a qualidade das ereções, e o Hotgel é um gel de massagem corporal que além de ajudar a melhorar a qualidade das ereções, ele ainda aumenta o penis.

Não há correlação específica entre o tamanho do pênis em repouso e o tamanho de uma ereção , traduzida: quando você vê pessoas na academia, na verdade você sabe pouco e nada sobre o seu “equipamento” real!

Até o momento, estudos científicos mostram que não existem técnicas, produtos, pesos ou dispositivos que aumentem o tamanho do pênis ; em alguns casos, eles podem ser perigosos, causando lacerações, infecções, inflamações, alongamentos das fibras e, acima de tudo, ilusões.

Mesmo dispositivos de vácuo, as bombas que criam um tipo de efeito de vácuo aumentando o suprimento de sangue por alguns minutos e que são usadas, por exemplo, na reabilitação peniana pós-operatória, devem ser usadas por curtos períodos e sob supervisão médica.

Concluindo, posso dizer que, com relação à possibilidade de aumentar o tamanho do pênis em repouso (sem falar na ereção), não há muito o que fazer além de uma operação cirúrgica que, no entanto, aumenta um pouco o tamanho ( cerca de 20%; portanto, se, por exemplo, o pênis em repouso tiver 7 centímetros de comprimento, após a operação, mesmo que tudo corra bem, com todos os riscos envolvidos na cirurgia, poderá atingir 8,4 cm para entendido).

Mas é fundamental perguntar por que a medida é tão fundamental, tanto mais em repouso e, portanto, não em função da sexualidade (para a qual, entre outras coisas, dimensões acima da média podem ser irritantes ou até dolorosas, tanto para penetração vaginal quanto anal). .

O Suor Descontamina seu Corpo – Veja Todos os Detalhes

Sabíamos que a pele é um dos órgãos de eliminação ou excreção do organismo e, na medicina natural, é frequentemente referida como benefícios da expulsão de toxinas com o suor.

Esta é uma afirmação que é frequentemente questionada ou relativizada pela medicina oficial, que até agora não via no suor mais utilidade terapêutica.

No entanto, isso pode mudar com estudos como os realizados na Universidade de Alberta (Canadá), que comprovam como, através do suor, você pode eliminar quantidades significativas de poluentes ambientais que penetraram no corpo.

UMA MANEIRA DE ELIMINAR TÓXICOS, COMO RETARDADORES DE CHAMA

Um grupo desses compostos são retardadores de chama, tóxicos com efeito disruptivo endócrino.

Os retardadores de chama são éteres difenílicos polibromados (PBDEs) encontrados em uma ampla variedade de produtos do cotidiano, como dispositivos eletrônicos, móveis, plásticos, materiais de construção ou roupas.

CAUSAR INFERTILIDADE

Uma vez que penetram no corpo, os PBDEs se acumulam nos tecidos adiposos, alteram o sistema endócrino e favorecem a fertilidade e os distúrbios metabólicos.

Em um dos estudos canadenses, participaram 11 mulheres e 9 homens, dos quais foram coletadas amostras de sangue, urina e suor. As análises encontraram metabólitos de PBDEs no sangue e no suor de todos os participantes.

UMA BOA RAZÃO PARA SUAR

Os autores concluíram que o estudo ofereceu evidências de afastamento em favor de sessões regulares de transpiração como forma de facilitar a eliminação terapêutica dos PBDEs.

Outra pesquisa anterior, publicada no Journal of Environmental and Public Health, também provou que o suor é acompanhado por uma variedade de contaminantes, como bisfenol e metais pesados, como arsênio e cádmio.

EXERCÍCIO FÍSICO E SAUNA

Portanto, exercícios físicos, sauna e qualquer atividade que cause suor são formas eficazes de eliminar toxinas. Na próxima vez em que perguntarem “que toxinas?” você pode responder “PBDEs, metais pesados ​​e bisfenol, entre outros”.

Referências:

  • Genuis et al. Excreção humana de retardadores de chama de éter difenílico polibromado: estudo de sangue, urina e suor. Pesquisa Biomédica Internacional.
  • Genuis et al. Estudo de excreção humana de bisfenol A: sangue, urina e suor (BUS). Revista de Saúde Ambiental e Pública.
  • Margaret Sears et al. Arsênico, cádmio, chumbo e mercúrio no suor: uma revisão sistemática. Revista de Saúde Ambiental e Pública.